sejam bem vindos!

Compartilhamento de atividades e idéias musicais...

A musica é a mistura de bandeiras
O som não tem fronteiras
É MADE IN CORAÇÃO... Toquinho


terça-feira, 24 de agosto de 2010

Notas Musicais

Aqui esta alguns visuais que uso em minhas aula espero que ajude!















terça-feira, 10 de agosto de 2010

como montar uma citara com sua classe

Esta base tem por objetivo mostrar que a música é uma das mais antigas e sublimes formas da expressão artística no ser humano. Por isso, os educadores encarregados desta base tentarão passar às suas crianças que o meio através do qual eles podem fazer a música são os instrumentos musicais. Entre os instrumentos musicais como o piano, violão, saxofone, tuba, violino, existem os instrumentos mais raros e conhecidos somente em seus países porém, são capazes de fazer os belos sons. Um exemplo é o instrumento que eles irão construir nesta base. Que tal então, construir uma cítara?
A cítara, bastante conhecida na Índia, tem sua origem numa região dos Alpes, perto da Alemanha, chamado Tirol, isso quer dizer que a cítara nasceu na Europa.

Desenvolvimento:
A partir dessa explicação o educador deverá reunir as crianças que estão na base em grupos de quatro a seis membros (o que dependerá do número de participantes), pois cada grupo irá construir uma citara. No caso de crianças menores é interessante ter um adulto para auxiliar, talvez esta seja uma boa oportunidade para fazer uma atividade interativa com os pais, ou com alunos mais velhos. Também será necessário o auxílio de um músico para afinar as cítaras depois que elas estiverem prontas.

Material
1 tábua com comprimento de 6 cm, com 2 cm de largura e 1 cm de espessura, cortada nas seguintes medidas:
1 retângulo de madeira de 25 X 15 cm. com 1 cm de espessura
1 retângulo de madeira de 25 X 2 cm. com. 1 cm de espessura
1 retângulo de madeira de 11 X 2 cm, com 1 cm de espessura
1 retângulo de madeira de 7 X 2 cm, com 1 cm de espessura
1 pedaço de madeira de 25 cm de comprimento

15 parafusos de 1.5 cm
19 pregos de 1,5 cm
4 cordas de violão da nota musical MI (primeira)
15 tachinhas médias.
Cola de madeira
1 lixa
Ferramentas usadas:
1 martelo
1 chave de fenda
1 alicate
1 prego grande
1 lápis

Como construir:
As peças que comporão o trabalho são as seguintes. Clique aqui para ver em formato maior .



As peças devem ser lixadas superficialmente antes de serem pregadas, após isso deve-se passar cola de madeira para que as mesmas fiquem bem fixadas em seus respectivos lugares.




Marcar o lugar dos parafusos e tachinhas.



Em seguida montar as cordas, começa-se fixando as cordas ao parafuso, bastando, para isso, enrolar e amará-las como mostra a figura 5. Depois de fixadas no parafuso, esticar as cordas e dando umas três ou quatro voltas em torno da tachinha e depois bater com o martelo para ela não escapar. Esticar as cordas até a tachinha o lado oposto e fazer a mesma coisa para prendê-la, indo terminar no parafuso, onde as cordas serão cortadas (com auxílio do alicate). Depois de prender as cordas, afiná-las com a chave de fenda. As notas predominantes são duas oitavas e é possível executar-se muitas músicas com a cítara.



Como fazer a partitura:
Para finalizar a construção o melhor é ideal as crianças tocarem uma musica simples na cítara que construíram. Para isso o educador pode deixar a partitura pronta e com cópias suficeintes para cada cítara construída, inclusive no tamanho certo para encaixar na cítara (clique aqui para imprimir a partitura no tamanho certo). Para fazê-la recortar o papel, observando as medidas e encaixá-la entre a madeira e as cordas da Cítara.





O encaixe certo da partitura na cítara da-se coincidindo a primeira corda - Dó - com a linha pontilhada que aparece em todas as partituras. A seta indica o início da música. Os círculos pretos, quando ligadas por traços, indicam que as cordas devem ser tocados sem interrupção, ao passo que nos lugares em que não existirem traços ligando os círculos pretos, deve-se dar uma pequena pausa e, em seguida, continuar

O nascimento das notas musicais - Idade Média





A idade Média foi dominada pelo Cristianismo, os monges eram quase as únicas pessoas que sabiam ler, as artes estavam sempre subordinadas à religião, inclusive a música, por esta razão os cantos gregorianos são as principais manifestações musicais que chegaram até os nossos dias.

A pauta musical e as sete notas musicais como conhecemos hoje: dó, ré, mi, fá, sol, lá e si, foram criadas pelo músico italiano e monge beneditino Guido D'Arezzo que viveu na idade média entre os anos de 995 à 1050 d.c., ele recebeu este nome porque ele nasceu na cidade de Arezzo (Toscana). Ele revolucionou a antiga ordem musical, de modo que foi chamado o inventor da música.

O nome das notas foram criados a partir de hino em honra de S. João Baptista, padroeiro de todos os cantores medievais. Este hino tinha uma curiosidade: cada verso começava com uma nota, um tom mais alto do que o anterior. Para fixar na memória dos seus alunos, o monge fazia decorar a primeira estrofe do hino, com o andar do tempo a primeira sílaba de cada verso se tornou nome de nota, exceto a palavra ut, mais tarde substituída por dó e a nota San passou a ser chamada de si (por serem as inicias em latim de São João, Sancte Ioannes).

Ut queant laxis
Resonare fibris
Mira gestorum
Famuli tuorum
Solve polluti
Labii reatum
Sancte Ioannes


Que significa:
"Para que nós, teus servos,
possamos elogiar claramente
o milagre e a força dos teus atos,
absolve nossos lábios impuros, São João"



Monatgem do Xilofone
Nesta base as crianças irão ter um exemplo vivo das notas musicais e para isso irão construir um xilofone de garrafas d'água. Havendo pouco tempo as crianças poderão somente colocar água nas garrafas, neste caso na base deverá haver um xilofone montado com as garrafas vazias.

Após a construção as crianças utilizaram o instrumento adquirindo familiaridade com as notas, poderão também tocar algumas musicas curtas conhecidas.

Material
1 cabo de vassoura
8 garrafas de cerveja (vazias)
Barbante ou náilon
2 cadeiras ou bancos
Tinta guache
Água,
Um lápis ou bastão de madeira
Um funil

Como montar
Fixar o cabo da vassoura em duas cadeiras ou banco. Neste cabo serão amarradas as oito garrafas de vidro vazias, preferencialmente incolores. As garrafas terão uma quantidade de líquido diferenciado de forma a poder cada uma vibrar o som de uma nota musical. A primeira garrafa da direita ficara vazia responderá a nota mais aguda. Nas outras garrafas coloca-se água, com o auxilio do funil, até formar a escala natural invertida (do, lá, sol, fá, mi, ré, do). A garrafa da esquerda vai ficar mais cheia de água, portanto corresponderá a nota mais grave. Este trabalho deverá ser feito primeiramente pelo educador com o auxílio de um músico com capacidade de distinguir cada uma das notas. Feito isso, mede-se com uma proveta (facilmente encontrada em lojas de artigos para perfumes) o volume necessário e anota-se a quantidade de água gasta. Este marcação também pode ser feita, riscando-se na garrafa, com caneta de retroprojetor, o local onde a superfície da água atingiu. Embora esta forma seja a mais fácil, a primeira onde se mede a quantidade de água com a proveta é mais educativa para os alunos que participarão mais ativamente da construção, com ações que permitem uma maior reflexão sobre quantidades, grandezas e formas de produção de som.

Para reconhecer facilmente cada uma das notas a que corresponde cada garrafa, é possível colorir á água contida em cada uma das garrafas, o que também dará um efeito bonito. A água pode ser colorida com guache, aquarela ou com corante alimentar. As garrafas também podem ser identificadas com etiquetas.


O Compositor, o Intérprete e o Maestro

O Compositor

O compositor pode ser considerado como uma espécie de artesão cujo material de trabalho são os sons e os silêncios. É ele que os molda e organiza de tal forma que consegue criar uma harmoniosa teia de ligações sonoras, a que damos o nome de partituras. Estas partituras podem ser compostas para orquestras ou, pelo contrário, apenas para um intérprete.
O trabalho do compositor é feito sempre com uma grande sensibilidade. Esse trabalho está normalmente sujeito a uma série de regras que fazem parte da linguagem musical.

O Intérprete

O intérprete é a pessoa que toca ou canta a obra musical composta.
Este acto exige um grande trabalho de preparação, tanto ao nível técnico, ou seja, ao nível da execução do que está escrito na pauta, como ainda ao nível da sensibilidade do intérprete, para que o espírito que o compositor pretendeu transmitir seja totalmente respeitado.
Costuma dizer-se que os grandes intérpretes são aqueles que sentem a obra musical que executam como se tivessem sido eles a compô-la.
Por vezes, os intérpretes são também os compositores das suas obras. Por isso, são chamados de compositores - intérpretes.

O Maestro

Antigamente a palavra maestro era um título dado aos compositores e aos professores célebres.
Hoje em dia, o maestro é o responsável pela orquestra, ou seja, é a pessoa que dirige todos os intérpretes. Por essa razão a sua actividade é de enorme importância exigindo, por isso, um grande trabalho de preparação e um profundo conhecimento de toda a partitura.
O maestro trabalha em cima de um estrado de modo a que possa ser visto por todos os músicos. O único material que usa é a batuta, com a qual vai dando sinais que indicam aos intérpretes o momento exacto em que devem tocar

Jogo - O Oceano da Orquestra (timbre)

Experimentem este jogo dos Little Einsteins! O objectivo é traçar um mapa do tesouro no Oceano, reconhecendo o timbre dos intrumentos. Só têm de adivinhar, de entre os intrumentos propostos, qual foi aquele que tocou e clicar em cima dele. Quem completar o mapa do tesouro, ganha. Divirtam-se!

http://tv.disney.go.com/playhouse/littleeinsteins/games/ocean.html